Seja bem-vindo. Hoje é

20 de mar de 2009

RECONSTRUÇÃO DO POEMA 1


Estou reconstruindo um poema para você
nascer em mim como renasce um pássaro
que reconstrói o ninho nos ramos da brisa...

Um poema que possa ao menos parecer
infinito como um beijo da luz nas águas
da ribeira escorrendo na canção que fica...

Versos de espumas das alvas cachoeiras
ou de uma luz noturna que ao luar reflita
a paz de sua história reescrita nas estrelas...

Na parte proibida do amor em reencontro
do lado oculto de meus anjos profanados
a face consentida da magia desse encanto...

De sementes fluindo em mim como cristais
de chuva nas vidraças da alma despertada
pelo toque da manhã que boceja na janela...

Poema reconstruído de carícias para você
adormecer em mim como chama resolvida
que se apaga no pó das cinzas sem morrer...

A. Estebanez

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E-book