Seja bem-vindo. Hoje é

10 de out de 2009

Contradições



Meu silêncio é ouvido
quando rasgo a inerte voz
quebrando em estilhaços mudos,
o grito que me impede
desnudar a alma e o coração

És meu cerco de contradições,
o relativo das circunstâncias,
o presente constante
de harmonia e devaneios

Tens a temporalidade
da indiferença cortante,
tal gelo que dilacera a dor
como armadilha iminente,
hipnotizando o som coloquial das palavras

Conceição Bentes
Publicado no Recanto das Letras em 26/09/09
Código do Texto: T1833015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E-book