Seja bem-vindo. Hoje é

24 de ago de 2009

Devaneios da uma da manhã...



Vês?
Não há poesia.
Somente a vida,
em preto e branco,
crua e nua.
Vês?
Foi-se o infinito...
As nuvens densas
toldam
as sendas da lua.
Ouves?
Vem do silêncio
esse cantar
tão sufocado.
E esse compasso?
É o coração
do violeiro
apaixonado.
Ouves?
O fogo baila,
rasga o tempo,
traz lembranças.
E as mãos sedentas
de um afago
prendem cordas...
Onde a viola guarda
os restos de esperança.

Patrícia Neme

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E-book