Seja bem-vindo. Hoje é

23 de jul de 2009

ALMA DE MENESTREL



Não deve morrer um dia
sem que a noite seja tua
nem meu sono sonharia
sem uma canção da lua...

Nem deve correr um rio
tão distante de seu leito
passa a noite vem o frio
eu distante de teu peito...

E nem te seja saudade
a saudade que me vem
por amor não há idade
pela idade que ele tem...

E vais tu levando a lua
pelas ruas do meu céu
com a alma quase nua
por teu doce menestrel...

A. Estebanez

Um comentário:

  1. Sem palavras até para elogiar, porque este poema é belíssimo!
    Um abraço

    ResponderExcluir

E-book