Seja bem-vindo. Hoje é

20 de mar de 2009

SER SEM TER


Nem as ervas daninhas
no meu corpo profundo
nem as heras são minhas
de onde jazo no mundo.

A minh’alma espinhosa
não possui tanta calma
como o instinto da rosa
que só tem a sua alma.

Nada meu o é de mim
nem a imensa poesia
pertencente ao jardim
que a luz furta do dia.

Os caminhos existem
se os pés tocam neles
e mistérios consistem
em se não saber deles.

Cai-me o último pomo
que no chão apodrece
vai-se o último outono
e o pomar permanece.

Nem as águas da cheia
nada é meu nem o estio.
E espalhadas na areia
só lembranças do rio...

A. Estebanez

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E-book