Seja bem-vindo. Hoje é

28 de jun de 2008

Soneto do perdão




(Homenagem a J. G. de Araújo Jorge)


Perdoa-me por ter-te amado tanto
e a ponto de perder-me de paixão...
Perdoa-me ter padecido o quanto
mereceu padecer meu coração...

Perdoa-me ao menos por enquanto
até que em mim pereça essa ilusão
de morrer docemente pelo encanto
de viver sepultado em teu perdão...

Perdoa se te amei tão loucamente
com tanto amor e tão perdidamente
contente em desfazer o que não fiz...

Perdoa-me também e eternamente
pelo sonho que a vida te consente
e deixa-me pensar que fui feliz...


(A. Estebanez)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E-book