Seja bem-vindo. Hoje é

8 de mai de 2009

SONETO DA CANÇÃO REPOUSADA


SONETO DA CANÇÃO REPOUSADA

Eu devo acontecer como acontece a noite
em teu corpo de rosas repousado em mim.
Os ventos passarão calados sem pernoite
e a noite transformada em relva no jardim.

A voz da chuva não será nem leve açoite
pois velarei teu sonho como um querubim.
Então te lembrarás de mim: o tempo foi-te
passando e de saudade fui ficando assim...

De olhos abertos para a noite remansosa
entre os vestidos da lembrança vagarosa
que ainda repousa no silêncio da canção...

Eu devo acontecer como acontece a flor
renascida das cinzas da canção de amor
que guardo nas ribaltas do meu coração...

Afonso Estebanez

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E-book